If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se estiveres protegido por um filtro da Web, certifica-te de que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Heredogramas - Revisão

Palavras-chave

TermoSignificado
HeredogramaEsquema que mostra a presença ou ausência de um traço nas várias gerações de uma família
GenótipoA estrutura genética de um organismo (ex: AA)
FenótipoAs características físicas de um organismo (ex: alto)
Alelo dominanteAlelo que é fenotipicamente expresso em vez de outro
Alelo recessivoAlelo que só é expresso na ausência de um alelo dominante
Traço autossómicoTraço localizado num autossoma (cromossoma não sexual)
Traço ligado ao sexoTraço localizado num dos dois cromossomas sexuais
HomozigóticoTer dois alelos idênticos para um mesmo gene
HeterozigóticoTer dois alelos diferentes para um mesmo gene

Heredogramas

Os heredogramas são usados para analizar os padrões de hereditariedade de um traço em particular numa família. Os heredogramas mostram a presença ou ausência de um traço entre pais, filhos e irmãos.

Leitura de um heredograma

Símbolos e identificadores comuns em heredogramas
Símbolos comuns em heredogramas.
Os heredogramas representam membros de uma família e as suas relações usando símbolos padronizados.
Ao analizar um heredograma, podemos determinar genótipos, identificar fenótipos, e prever como um traço será transmitido no futuro. A informação de um heredograma torna possível determinar como certos alelos são herdados: sejam eles dominantes, recessivos, autossómicos, ou ligados ao sexo.
Para começar a ler um heredograma:
  1. Determina se o traço é dominante ou recessivo. Se o traço for dominante, um dos pais tem de ter esse traço. Traços dominantes não saltam gerações. Se o traço for recessivo, nenhum dos pais precisa de ter o traço, uma vez que podem ser heterozigóticos.
  2. Determina se o esquema mostra traços autossómicos ou ligados ao sexo (geralmente ligados ao cromossoma X). Por exemplo, nos traços recessivos ligados ao cromossoma X, é muito mais comum os homens serem afetados do que as mulheres. Nos traços autossómicos, tanto os homens como as mulheres estão igualmente sujeitos a ser afetados (geralmente em proporções iguais).

Exemplo: Traço dominante autossómico

Heredograma que mostra a hereditariedade das sardas ao longo de três gerações.
O diagrama mostra a hereditariedade de sardas numa família. O alelo para ter sardas (S) é dominante sobre o alelo para não ter sardas (s).
No topo do heredograma está uma avó (indivíduo I-2) que tem sardas. Dois dos três filhos têm o traço (os indivíduos II-3 e II-5) e três dos seus netos têm o traço (os indivíduos III-3, III-4, e III-5).

Exemplo: Traço recessivo ligado ao cromossoma X

Heredograma que mostra a hereditariedade do daltonismo ao longo de quatro gerações.
O diagrama mostra a hereditariedade do daltonismo numa família. O daltonismo é um traço recessivo e ligado ao cromossoma X left parenthesis, start text, X, end text, start superscript, d, end superscript, right parenthesis. O alelo para a visão normal é dominante e é representado por start text, X, end text, start superscript, D, end superscript.
Na geração I, nenhum dos pais possui o traço, mas um dos filhos (II-3) é daltónico. Como há pais não afetados a originar filhos afetados, podemos assumir que este é um traço recessivo. Para além disto, o traço parece afetar mais os homens do que as mulheres (neste caso, apenas os homens são afetados), sugerindo que o traço deva estar ligado ao cromossoma X.

Erros e equívocos habituais

  • A presença de muitos indivíduos afetados numa família nem sempre significa que a característica é dominante. Os termos dominante e recessivo referem-se à forma como um traço é expresso, não pela frequência com que ele aparece numa família. Na verdade, embora não seja comum, um traço pode ser recessivo, mas continuar a aparecer em todas as gerações de um heredograma.
  • Podes não ser sempre capaz de determinar o genótipo de uma pessoa com base num heredograma. Às vezes um indivíduo pode ser homozigótico dominante ou heterozigótico para um traço. Muitas vezes, podemos utilizar as relações entre um indivíduo e os seus pais, irmãos e descendentes para determinar os genótipos. No entanto, nem todos os transportadores são sempre explicitamente indicados num heredograma, e pode não ser possível determinar um genótipo com base nas informações fornecidas.